| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Jornal Mojubá Efón
Desde: 29/12/2009      Publicadas: 60      Atualização: 14/09/2013

Capa |  Culto a Xapanan em Ekiti -Efón  |  Festa de Exu Tiriri  |  Ile Omi Asé  |  Inauguração Asé Lança de Prata  |  Iya Mi Osorongá  |  Noticias do candomblé  |  Noticias do mundo do candomblé  |  Odú Etá de Walace Ty Jàgún  |  Odùdùwá  |  Ori  |  Oriki  |  Orisá de Efón  |  Orisá Ogun em Ekiti  |  Orisá Okó  |  Quem sou eu?!


 Orisá de Efón

  07/09/2011
  0 comentário(s)


Importância da iniciação ao culto do Orisá

''nesse espaço falaremos sobre a importância
da iniciação e obrigaçoes anuais de um
Elegún''

Importância da  iniciação  ao culto do Orisá
- O que é Iniciação

Iniciar-se (popularmente no Brasil diz-se "fazer santo") é possibilitar através de rituais próprios que
o lado divino da criatura transpareça; é libertar o Deus Interior que existe em cada ser humano,
permitindo-lhe vir a tona e provocar impulso irresistível capaz de conduzir a individualidade à
realização pessoal, estabelecendo dessa maneira a mais perfeita comunhão possível com o
Universo, com a Natureza, com o Criador, enfim, com a própria Vida, em seu pulsar infinito.

Corpo físico, mente e alma são ritualisticamente preparados para componentes da manifestação
divina. Condições propícias são estabelecidas para que a memória ancestral possa florescer nos
recessos do inconsciente, produzindo muitas vezes o transe, em suas mais variadas formas e
também variados graus.

"Fazer santo" é nascer de novo, renascer como indivíduo mais forte, completo, potencialmente
seguro, com melhores condições para, ao abandonar medos, traumas ou bloqueios, lançar-se
inteiro na busca da realização pessoal.

I - 2 - Por que "fazer santo"?

Conhecer a si mesmo: pressuposto básico para a realização pessoal em todos os níveis.

Desde sua origem o ser humano anseia pelo encontro com o Infinito. Essa busca incansável
frequentemente provoca verdadeiras batalhas que são travadas no interior do indivíduo,
acompanhadas por sentimentos de angústia, ansiedade, inconformismo ou até mesmo desespero
frente ao desconhecido ou ao irremediável: as fatalidades e incertezas do amanhã, o ciclo da vida, a
morte. Todo esse processo destina-se a criação de ambiente propício ao tão sonhado encontro.

A história da humanidade espelha essa incansável busca de respostas aos enigmas da vida:
Quem sou eu? De onde venho? Para onde vou? A felicidade é perseguida por todos, sendo muitas
vezes um desejo alimentado pela incerteza: "Quero ser feliz, mas não sei bem o que é felicidade".

E o ser humano continua a colocar a própria felicidade longe de si mesmo, em circunstâncias
exteriores: dinheiro, posição, poder, fama, ou na dependência de outras pessoas: "Se ele - ou ela -
me amar, serei feliz".

Há milhares de anos, o nativo do continente africano já tinha os mesmos anseios: conhecer seu
Deus, os mistérios do Universo, a origem da Vida. Olodumárè (o Criador), em sua Graça e Poder
infinitos, permitiu-lhes conhecer a sabedoria do IFA (a revelação): a Criação do Universo e dos
seres humanos, os princípios que regulam as relações entre Ilú Aiyé (a Terra) o Orún (mundo
espiritual) e o conhecimento dos Òrìsa, divindades partícipes da Criação e intermediárias entre
Deus (Olodumárè) e os homens.

Desenvolveram-se rituais iniciáticos para os mistérios dos Òrìsà, como forma de realizar o sagrado
em si mesmo, ou seja, permitir que o Deus Interior, na figura de um ancestral divino, desperte em
cada indivíduo e estabeleça a ponte com o Cosmos, tão necessária à realização pessoal, tornando-
o assim capaz de fazer escolhas mais acertadas e consequentes em relação à vida e aos
semelhantes, na construção da própria felicidade.

A compreensão clara de que destino é possibilidade e não fatalidade é a base dessa realização. O
conhecimento das forças que regem o Universo e a Vida nas suas mais variadas formas e meios
de manifestação, bem como dos princípios que regulam essa interação é o caminho da Iniciação.

Formação espiritual do iniciado

Degraus da Iniciação

A formação espiritual do iniciado nos mistérios do Òrìsà na verdade é contínua, começando no
momento em que a pessoa abraça a religião e terminando com a sua morte.

O Candomblé possui enorme cabedal de informações que são transmitidas oralmente, o que
dificulta bastante seu aprendizado. Não existem demarcações claras entre um ponto e outro a ser
assimilado, despendendo o iniciado bastante tempo e raciocínio para recompor os ensinamentos
que lhe chegam fragmentada e desordenadamente.

A título de sugestão, fica aqui um roteiro básico, o qual pode ser útil para possibilitar uma trajetória
mais tranquila e harmoniosa pelo postulante nos caminhos da iniciação.

1º Ano da Iniciação : conhecer as raízes do seu Ase; aprender canto e dança rituais; conhecer as
divisões hierárquicas e os Espaços Sagrados da sua própria Casa de Ase.

2° Ano da Iniciação : aprimorar canto e dança; aumentar conhecimentos dos diferentes Òrìsà
cultuados pela Família e pela Casa; culinária ritualística.

3° Ano da Iniciação : aprimorar canto e dança; aprimorar conhecimento dos Òrìsà, especialmente
histórias e lendas (literatura do Ifa); aprimorar cozinha ritual e oferendas votivas.

4° Ano da Iniciação : os itens do ano anterior, acrescentando-se aprofundamento nas cerimônias
públicas e trato com os Òrìsà manifestados.

5° Ano da Iniciação : Incluir aspectos ligados aos Quartos Sagrados e Igba-Òrìsà (assentamentos).

6° Ano da Iniciação : incluir aprofundamento no conhecimento de ervas litúrgicas e medicinais e o
uso delas no Candomblé.

7° Ano da Iniciação : assuntos dos anos anteriores, acrescentando-se a confecção e manuseio dos
apetrechos e materiais sagrados utilizados no Quarto de Òrìsà.

8° Ano da Iniciação em diante : aqui os destinos se dividem. Os Egbon que receberam Oye (cargo
dignatário) terão tarefas específicas a aprender e executar; aqueles poucos destinados a fundar
novas Casas de Ase deverão rever todo o conhecimento adquirido, acrescentando-se o destinado
aos Oloye e os mistérios da Iniciação, Renovações (obrigações) e Asese (ritos funerários).

Importante ter em mente que estudo e dedicação são imprescindíveis a partir do momento da
iniciação, sendo mais necessário adotar-se uma postura real de busca e aprendizado do
conhecimento religioso, do que propriamente um roteiro para fazê-lo.

(texto de autoria Sergio de Ajunssun)
  Web site: www.jagunsi.com.br  Autor: Zilu ty ossúmáré


  Mais notícias da seção Equipe Jornal Mojubá Efon no caderno Orisá de Efón
20/12/2011 - Equipe Jornal Mojubá Efon - Alguns Orisás do Ekiti
Um pouco do culto ao Orisá na Nigéria...
15/09/2011 - Equipe Jornal Mojubá Efon - ORISÁ ONILÉ
Hoje falaremos do ORISA ONILÉ, aprimeira divindade da terra , espero que seja de grande valia essa postagem auwre zilu ty óssúmáré...
15/09/2011 - Equipe Jornal Mojubá Efon - culto ao orisá ERINLÉ !
AUWRE irmaos e sinpatizantes , nesse espaço falaremos um pouco do ORISÁ ERINLÉ de acordo com minha naçao efon , respeitando toda as vertentes, de nossa raiz afro religiosa ...
17/11/2010 - Equipe Jornal Mojubá Efon - Iya Otin
Bom nesse espaço falaremos um pouco sobre essa Iyabá caçadora,que muito é cultuada no Efón...
11/11/2010 - Equipe Jornal Mojubá Efon - Atendimento espiritual
Baba Jagunsi atentede todos dias da semana com jogos de buzios.Jagunsi iniciado na nação Efón e tem seu Asé em niteroi bairro docubango.Te:21 618-8630...
23/06/2010 - Equipe Jornal Mojubá Efon - Efón uma casa uma nação
Efan ou Efon - é uma nação do candomblé, seus orixás também são cultuados em outras nações.Na África a nação ainda existe, mais exatamente em Ekiti-Efon (não confundir com Ifon, a terra de Oxalufon), no Brasil usa-se o termo "Lokiti Efon" e onde reina absoluta a rainha da nação no Brasil, ou seja, Osun, lá ainda cultua-se muitos orixás que se perde...
23/06/2010 - Equipe Jornal Mojubá Efon - Efón uma casa uma nação
Aqui vamos fala sobre essa linda nação,de origem e estoria...Efan ou Efon - é uma nação do candomblé, seus orixás também são cultuados em outras nações.Na África a nação ainda existe, mais exatamente em Ekiti-Efon (não confundir com Ifon, a terra de Oxalufon), no Brasil usa-se o termo "Lokiti Efon" e onde reina absoluta a rainha da nação no Brasil,...
23/06/2010 - Equipe Jornal Mojubá Efon - Orisá Jagun
Jagun,Orisá Funfun,ligado a Obatalá.Muito cultuado nas terras de Ekiti Efón....



Capa |  Culto a Xapanan em Ekiti -Efón  |  Festa de Exu Tiriri  |  Ile Omi Asé  |  Inauguração Asé Lança de Prata  |  Iya Mi Osorongá  |  Noticias do candomblé  |  Noticias do mundo do candomblé  |  Odú Etá de Walace Ty Jàgún  |  Odùdùwá  |  Ori  |  Oriki  |  Orisá de Efón  |  Orisá Ogun em Ekiti  |  Orisá Okó  |  Quem sou eu?!
Busca em

  
60 Notícias